Por que precisamos voltar a pôr as mãos na massa em nossas aulas?

Buscaremos resposta a esta pergunta mobilizando concepções de aprendizagem nas práticas escolares.

Porque a aprendizagem mão na massa ou aprender fazendo significa:
  • Resolver desafios reais: O começo de tudo;
  • Buscar a descoberta;
  • A surpresa;
  • A experiência.


   Abordaremos também:

  • As dicas da neurociência: As bases neurofisiológicas da aprendizagem;
  • As janelas de oportunidade para aprender;
  • O movimento maker nas escolas.

Início do módulo: 21/11/2017

A cultura digital nasce e floresce na intersecção entre a ampla disponibilidade da tecnologia, impulsionada pelos dispositivos móveis, e o acesso ilimitado à informação, proporcionado pela internet.

As crianças são contemporâneas ao surgimento da tecnologia e a escola deve alfabetizá-los na linguagem digital tanto para a escola quanto para a vida. 

Perante esse dilema que vem sendo tratado em diferentes propostas, ganha importância envolver os educadores na exploração de tecnologias digitais não só na sala de aula mas também em âmbitos recreativos da cultura, vida cidadã, trabalho e da economia.

Abordaremos o problema na perspectiva de uma das Dez Competências da Educação Básica:

Utilizar tecnologias digitais de comunicação e informação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas do cotidiano (incluindo as escolares) ao se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos e resolver problemas.

Como o professor pode pensar nas múltiplas dimensões do processo educativo e organizar o ensino para a aprendizagem de todos os alunos em processo de alfabetização? A plena alfabetização de todas as crianças é a ação estratégica para garantir a cidadania em nosso  país.  Nesta perspectiva, qual é o papel do professor? Este e outros desafios serão abordados para compreendermos o papel do professor como sujeito transformador, traduzido em seu fazer cotidiano.

Será que estamos no caminho certo? Será que os meus estudantes estão aprendendo? Como vou saber se os resultados foram atingidos?

São questões dos educadores sempre presentes no cotidiano escolar.

Trataremos dessas questões  em pequenas comunidades virtuais de aprendizagem procurando organizar experiências e práticas de avaliação orientadas às competências gerais da Educação Básica.

Como trabalhar a formação dos professores para possibilitar a implementação dos princípios trazidos pela BNCC?

Considerando que o  norte da BNCC é garantir aos estudantes uma educação que efetivamente os estimule a um desenvolvimento pleno e que vai além dos conteúdos das disciplinas, de forma que eles possam também saber lidar com as próprias emoções, relacionar-se com os outros e atingir objetivos na vida. Como iniciar essa formação?

Nesta perspectiva, este módulo propõe a revisão do Projeto Político Pedagógico das escolas como ponto de partida para a implementação desses princípios a partir de dois eixos: garantir a formação humana integral e desenvolver as dez competências gerais da Educação Básica.


Última atualização: segunda, 6 Nov 2017, 10:31